• Writer's Room 51

7 dicas eficientes para transformar sua ideia num roteiro de podcast

Tem uma ideia ou um roteiro audiovisual pronto e quer transformá-lo num podcast? Conheça nossas dicas essenciais para ajudar na escrita!

"Limetown". Imagem: reprodução

Podcasts de ficção andam tomando conta dos ouvidos alheios por aí. E esse formato não só é uma maneira acessível de contar histórias como também uma manobra interessante para a carreira do roteirista. Como assim?


O que Homecoming, Limetown, Alice Isn't Dead e Welcome to Night Vale têm em comum? Todos começaram como um podcast de ficção e se tornaram (ou irão se tornar) uma série de TV. Histórias escritas especificamente para podcasts são potentes e podem fazer seu nome circular muito bem pelo mercado.


Até mesmo Orson Welles cativou o EUA em 1938, com uma adaptação dramática para o rádio do romance de H.G. Wells, "A Guerra dos Mundos", contando a história de uma invasão marciana da Terra. O roteiro para o rádio foi escrito por Howard Koch, que ganharia um Oscar por co-escrever "Casablanca".


Além disso, sabe-se que produzir um podcast é mais econômico e rápido do que um filme. Você só precisa saber escrever um ótimo roteiro. Inclusive, sabia que é possível começar agora mesmo, com uma ideia ou roteiro que você já tem?


Para ajudar nessa empreitada, adaptamos e traduzimos dois textos do Screencraft (1 e 2) que trazem algumas dicas simples para transformar sua ideia ou mesmo seu roteiro audiovisual em um podcast de ficção. Confira!


Por que escrever podcasts é uma boa estratégia para a carreira?

Homecoming. Imagem: Amazon Prime

Antes de partir para as dicas, é preciso entender o motivo do podcast ser uma boa ferramenta de criação e carreira para roteiristas.


Estúdios de cinema, agentes, redes de TV, executivos de desenvolvimento, produtores e streamers, todos amam uma mesma coisa: a propriedade intelectual. Pode ser um produto já existente em qualquer formato que tenha o aval do público - nisso, entram livros, contos e até podcasts.


A ideia é que, com a propriedade intelectual, vem um burburinho instantâneo da base de fãs do IP. Aos olhos de Hollywood, por exemplo, é menos arriscado apostar neles do que em roteiros e pilotos originais. E embora essa filosofia nem sempre dê certo, o mercado não vai parar de priorizar IP tão cedo.


E podemos perceber como foi só a fama do podcast de ficção começar a crescer que o mercado audiovisual veio correndo:


  • Amazon Prime produziu Homecoming;

  • Syfy adquiriu podcasts de ficção de sucesso, como TANIS, The Bright Sessions e Alice Isn't Dead;

  • FX e Sony Pictures Television escolheram o Welcome to Night Vale;

  • NBC adquiriu The Black Tapes;

  • Facebook adquiriu os direitos de Limetown; etc.

Portanto, se você possui uma série ou mesmo filme que tem possibilidade de desdobramentos em formato de podcast, que tal anexar esse formato narrativo ao seu projeto e oferecer aos players ainda mais uma plataforma que conte sua história?


Agora que você entendeu um pouco melhor os atrativos desse formato, conheça nossas dicas para pensar, formatar e escrever seu podcast de ficção.


7 dicas para transformar sua ideia em um roteiro de podcast

Limetown. Imagem: reprodução

1. Mantenha sua formatação de roteiro normal


Não existem padrões da indústria para formatar um script de podcast de ficção. Alguns roteiristas até utilizam o Google Docs.


Mas, se você estiver adaptando um roteiro que já foi formatado em softwares como o Final Draft, manter esse formato familiar oferece uma grande vantagem: seu roteiro já está formatado de maneira que cada página corresponda a aproximadamente um minuto de tela - ou, neste caso, de som.


Pensando assim, um roteiro de 20 páginas resultará num podcast de aproximadamente 20 minutos.


Mas, na hora de adaptar, certifique-se de remover todas as suas “ações” e adicionar efeitos sonoros. Limetown, por exemplo, traz uma formatação muito reconhecível para qualquer roteirista. Aqui, as descrições de áudio estão em negrito.

Roteiro de "Limetown". Imagem: Screencraft

Outro ponto importante é priorizar a legibilidade: personagens devem ter diagramação clean e de rápida identificação.


E lembre-se, podcasts de ficção são um novo meio. O formato está evoluindo a cada momento. Portanto, sinta-se à vontade para fazer o seu próprio modelo! Se você encontrar uma maneira melhor de formatar os roteiros, vá em frente.


O mais importante a lembrar é que o objetivo do formato é comunicar os elementos de áudio da forma mais rápida e clara possível.


2. Escreva com seus ouvidos, não com seus olhos


"Formatar" não é o mesmo que "escrever". A escrita de um podcast segue sua própria lógica.


Os filmes são um meio visual. E, como roteiristas, todos nós sabemos que são as imagens na tela que contam a história. Troca de olhares, um deserto vazio e congelado ou uma terra distópica queimada - essas imagens definem o cenário e o clima narrativo. Mas os podcasts não são assim.

Orson Welles em "The Night That Panicked America". Imagem: reprodução

Um podcast, como uma radionovela, precisa ser contado exclusivamente por meio do som e isso requer uma grande mudança de pensamento, mas não é difícil de fazer.


O diálogo, obviamente, é uma grande parte do que o ouvinte vai ouvir, mas é apenas um dos elementos. Uma boa ideia é imaginar que seu ouvinte está usando uma venda nos olhos. Como guiá-los através dos sons do seu mundo?


Digamos que você tenha escrito um roteiro de filme sobre um pirata, como Barba Negra. Para adaptar este roteiro a um podcast, você só precisa trocar as imagens visuais por pistas transmitidas por áudio. Isso envolve construção inclusive de questões físicas de personagem.


Em vez ver de um pirata com uma perna de pau e brinco de ouro, o ouvinte ouve a batida irregular de sua perna de pau batendo nas pranchas de madeira antigas de seu navio. O oceano tempestuoso assobia e troveja. As cordas são esticadas com o vento e as velas se desenrolam com um estalo nítido. Moedas de ouro tilintam de um baú de tesouro e uma bala de canhão estilhaça um navio em destroços flutuantes. Talvez seu papagaio grite.


Ou seja, um navio pirata do século 18 é uma rica paisagem sonora para o seu roteiro de podcast ficcional. Recheie a paisagem de elementos!

"Limetown". Imagem: reprodução

Mas é importante lembrar também dos aspectos técnicos que vêm com essa mudança de abordagem.


O áudio, em sua totalidade, é a base de em um roteiro de podcast de ficção. Isso significa que os roteiristas de podcast não podem simplesmente deixar para produtores, diretores, dubladores e designers de som determinar como será um design de som que está baseado em descrições visuais que normalmente escreveria em roteiros audiovisuais.


Se você deseja escrever um ótimo roteiro de podcast de ficção, precisa ter ouvidos para sua história - não uma visão.


Portanto, esqueça a descrição da cena. Você não precisa disso! Mas precisa deixar pausas, efeitos e até volume sonoro bem claros.


Para alguns, a falta de descrição visual é uma lufada de ar fresco. Para outros, é intimidante pois significa que tudo vai depender principalmente de um elemento de roteiro que tantos roteiristas temem - o diálogo.


3. O diálogo é uma das coisas mais importantes em um podcast de ficção

"Homecoming". Imagem: reprodução

Seria estranho fazer um podcast de ficção baseado em efeitos sonoros durante a maior parte da história. No cinema e na televisão, você pode mostrar uma história que tem pouco ou nenhum diálogo, contando com os visuais e as ações e reações físicas dos personagens para contar a história.


Mas, em um podcast, a palavra falada é tudo. Portanto, você precisa levar suas habilidades de diálogo a outro nível. No podcast, fale o que você precisa falar.


E, quando diálogo conta a história, você tem alguns recursos a seu favor. Por exemplo, a narração, interações vocais dos personagens e tons de voz específicos. Mesmo assim, é uma transição complicada - mais do que uma peça de teatro, onde o dramaturgo ainda tem o apoio visual.


Então, você não pode simplesmente pegar seu roteiro, dividi-lo em episódios e criar um podcast de ficção eficaz. Isso não vai funcionar.


Você precisa desligar seus óculos de visão de narrativa e colocar os fones de ouvido com conceitos sonoros no volume máximo. É assim que você precisa “ver” sua história: através dos ouvidos dos futuros ouvintes.


Efeitos sonoros e foley podem (e devem) fazer parte da equação. Mas o diálogo é como você conta uma história de áudio eficaz.


10 dicas para escrever diálogos mais dinâmicos


4. Seu podcast deve ter um narrador?

"Limetown". Imagem: reprodução

Outra reflexão necessária é sobre a narração. Você pode escrever falas para um narrador em seu roteiros de podcast. Na verdade, uma voz onisciente descrevendo o local e até mesmo a ação é uma ótima maneira de adaptar seu roteiro audiovisual ao formato sonoro.


Novamente, não há regras para formatar isso (ainda), mas existem soluções alternativas inteligentes e truques que você deve considerar. Alguns personagens de podcast de ficção mantêm diários de áudio para explicar em detalhes tudo o que está acontecendo. Mas essa ferramenta é amparada pela narrativa, ou seja, é assim pois a história permite.


Exemplos de narradores que fazem sentido são personagens sobreviventes, participantes de algum programa, personagens que precisam ler cartas ou documentos, etc. Pense nas necessidades da narrativa antes de criar um narrador.


Vindo de um background de roteiro, esse estilo de escrita pode ser um desafio no início, pois requer algumas falas mais expositivas. Mas faça sua pesquisa: ouça mais podcasts de ficção e entenda como diferentes pontos narrativos foram expostos.

"Homecoming". Imagem: reprodução

Vamos dizer que você decidiu por um narrador em seu podcast de ficção. Como formatar as falas para esse personagem?


Precisamos diferenciar diálogos de efeitos sonoros mais rapidamente. As mudanças significativas neste formato de roteiro de podcast são:


  • A narração recebe seu próprio título de personagem (NARRADOR);

  • Todos os efeitos sonoros ficam destacados (na margem esquerda em negrito, etc), assim como inflexão que vai afetar diretamente o diálogo do personagem.

Confira outro exemplo do roteiro de Limetown, em estilo de Transcrição, que traz a fala do Narrador:

Roteiro de "Limetown". Imagem: Screencraft

5. Prefira cenas com no máximo três ou quatro personagens


No cinema, cenas complexas com vários personagens são muito interessantes. Mas, quando ouve-se uma história, muitas vozes pode ser algo confuso, especialmente se os atores tiverem idade parecida ou mesmo tom de voz.


Quanto menos personagens, mais fácil será a cena. Ao adaptar seu roteiro audiovisual para um de podcast, dê a cada personagem um estilo distinto de fala e, ao escolher dubladores, certifique-se de que eles tenham qualidades vocais diferentes. Sotaques podem ajudar com isso, assim como gírias, quando apropriado.


6. Estruture episódios de podcast como uma temporada de TV

"Modern Love". Imagem: Uol

Geralmente, em uma série de televisão, há um grande arco para a temporada, com arcos menores em cada episódio. E essa é uma ótima estratégia para escrever ou adaptar um roteiro para um podcast de ficção.


Sinta-se à vontade para chamar seu primeiro episódio de "piloto" e o último episódio de "final" da temporada. O público vai entender melhor o fluxo da história. Além disso, os podcasts de ficção geralmente têm de 10 a 30 minutos de duração, então isso funciona muito bem como estrutura.


E, como numa série normal, a chave para usar bem essa estrutura de episódios de TV é manter a atenção do ouvinte durante o conflito.


O que cada personagem deseja, e o que (ou quem) está impedindo que eles consigam? Assim como em um roteiro, construa muito bem seus protagonistas e antagonistas, para que tenhamos mais personagens memoráveis para acompanhar.


Criando personagens com Nina Kopko


7. Nunca se esqueça do "gancho"


Justamente pela maioria dos podcasts serem em temporadas, é preciso lembrar de adicionar (ou manter) um final instigante: o gancho.


Ao dividir o seu roteiro existente em blocos menores, digeríveis e cheios de conflito, não amarre o final de cada episódio com um final absoluto. É imperativo adicionar um gancho para o próximo.


É esse tipo de suspense que deixará um conflito sem solução e seu público querendo ouvir mais.




Fontes:


The Ultimate Guide to Writing a Fiction Podcast Script por Ken Miyamoto


How to Turn Your Screenplay into a Podcast Script (8 Easy Steps) por Shanee Edwards

Writer's Room 51 é uma vitrine online de projetos audiovisuais autorais.

Newsroom 51 é um portal afiliado de artigos sobre cinema, TV e streaming.

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn