• Writer's Room 51

7 dicas eficientes para transformar sua ideia num roteiro de podcast

Tem uma ideia ou um roteiro audiovisual pronto e quer transformá-lo num podcast? Conheça nossas dicas essenciais para ajudar na escrita!

Limetown
"Limetown". Imagem: reprodução

Podcasts de ficção andam tomando conta dos ouvidos alheios por aí. E esse formato não só é uma maneira acessível de contar histórias como também uma manobra interessante para a carreira do roteirista. Como assim?


O que Homecoming, Limetown, Alice Isn't Dead e Welcome to Night Vale têm em comum? Todos começaram como um podcast de ficção e se tornaram (ou irão se tornar) uma série de TV. Histórias escritas especificamente para podcasts são potentes e podem fazer seu nome circular muito bem pelo mercado.


Até mesmo Orson Welles cativou o EUA em 1938, com uma adaptação dramática para o rádio do romance de H.G. Wells, "A Guerra dos Mundos", contando a história de uma invasão marciana da Terra. O roteiro para o rádio foi escrito por Howard Koch, que ganharia um Oscar por co-escrever "Casablanca".


Além disso, sabe-se que produzir um podcast é mais econômico e rápido do que um filme. Você só precisa saber escrever um ótimo roteiro. Inclusive, sabia que é possível começar agora mesmo, com uma ideia ou roteiro que você já tem?


Para ajudar nessa empreitada, adaptamos e traduzimos dois textos do Screencraft (1 e 2) que trazem algumas dicas simples para transformar sua ideia ou mesmo seu roteiro audiovisual em um podcast de ficção. Confira!


Por que escrever podcasts é uma boa estratégia para a carreira?

Homecoming
Homecoming. Imagem: Amazon Prime

Antes de partir para as dicas, é preciso entender o motivo do podcast ser uma boa ferramenta de criação e carreira para roteiristas.


Estúdios de cinema, agentes, redes de TV, executivos de desenvolvimento, produtores e streamers, todos amam uma mesma coisa: a propriedade intelectual. Pode ser um produto já existente em qualquer formato que tenha o aval do público - nisso, entram livros, contos e até podcasts.


A ideia é que, com a propriedade intelectual, vem um burburinho instantâneo da base de fãs do IP. Aos olhos de Hollywood, por exemplo, é menos arriscado apostar neles do que em roteiros e pilotos originais. E embora essa filosofia nem sempre dê certo, o mercado não vai parar de priorizar IP tão cedo.


E podemos perceber como foi só a fama do podcast de ficção começar a crescer que o mercado audiovisual veio correndo:


  • Amazon Prime produziu Homecoming;

  • Syfy adquiriu podcasts de ficção de sucesso, como TANIS, The Bright Sessions e Alice Isn't Dead;

  • FX e Sony Pictures Television escolheram o Welcome to Night Vale;

  • NBC adquiriu The Black Tapes;

  • Facebook adquiriu os direitos de Limetown; etc.

Portanto, se você possui uma série ou mesmo filme que tem possibilidade de desdobramentos em formato de podcast, que tal anexar esse formato narrativo ao seu projeto e oferecer aos players ainda mais uma plataforma que conte sua história?


Agora que você entendeu um pouco melhor os atrativos desse formato, conheça nossas dicas para pensar, formatar e escrever seu podcast de ficção.


7 dicas para transformar sua ideia em um roteiro de podcast

limetown
Limetown. Imagem: reprodução

1. Mantenha sua formatação de roteiro normal


Não existem padrões da indústria para formatar um script de podcast de ficção. Alguns roteiristas até utilizam o Google Docs.


Mas, se você estiver adaptando um roteiro que já foi formatado em softwares como o Final Draft, manter esse formato familiar oferece uma grande vantagem: seu roteiro já está formatado de maneira que cada página corresponda a aproximadamente um minuto de tela - ou, neste caso, de som.


Pensando assim, um roteiro de 20 páginas resultará num podcast de aproximadamente 20 minutos.


Mas, na hora de adaptar, certifique-se de remover todas as suas “ações” e adicionar efeitos sonoros. Limetown, por exemplo, traz uma formatação muito reconhecível para qualquer roteirista. Aqui, as descrições de áudio estão em negrito.

Roteiro de "Limetown"
Roteiro de "Limetown". Imagem: Screencraft

Outro ponto importante é priorizar a legibilidade: personagens devem ter diagramação clean e de rápida identificação.


E lembre-se, podcasts de ficção são um novo meio. O formato está evoluindo a cada momento. Portanto, sinta-se à vontade para fazer o seu próprio modelo! Se você encontrar uma maneira melhor de formatar os roteiros, vá em frente.


O mais importante a lembrar é que o objetivo do formato é comunicar os elementos de áudio da forma mais rápida e clara possível.


2. Escreva com seus ouvidos, não com seus olhos


"Formatar" não é o mesmo que "escrever". A escrita de um podcast segue sua própria lógica.


Os filmes são um meio visual. E, como roteiristas, todos nós sabemos que são as imagens na tela que contam a história. Troca de olhares, um deserto vazio e congelado ou uma terra distópica queimada - essas imagens definem o cenário e o clima narrativo. Mas os podcasts não são assim.