• Writer's Room 51

Assassino retratado em filme é identificado 30 anos depois

Atualizado: 26 de Set de 2019

Conhecido como “assassino do zodíaco coreano”, suspeito inspirou filme de diretor premiado em Cannes. Embora identificado, o homem não poderá ser preso.


Bong Joon-ho recebendo a Palma de Ouro em Cannes (2019) - Imagem: AFP

Segundo a polícia da Província de Gyeonggi Nambu (Coréia do Sul), um suspeito foi identificado como o “assassino do zodíaco coreano”, referência ao famoso caso que aterrorizou os EUA entre 1960 e 1970. Lee Chun-jae teria assassinado e violentado 10 mulheres entre 1968 e 1991.


A repercussão do caso foi tão grande que inspirou o diretor e roteirista Bong Joon-ho a retratar sua história no filme “Memórias de um Assassino” (2003). Vencedor do principal prêmio em Cannes este ano pelo filme "Parasita" (2019), Bon Joon-ho está na lista dos favoritos para levar o Oscar em 2020.


A investigação


Polícia investiga os assassinatos (1993) - Imagem: AP

30 anos depois dos crimes que chocaram a Coréia do Sul, a polícia finalmente conseguiu ligar o suspeito a três dos dez assassinatos graças à análise de DNA a partir de uma peça de roupa de uma das vítimas.


O caso, porém, não acaba por aí. O The Guardian, em matéria a respeito do caso, reportou que Lee Chun-jae não poderia ser preso por esses casos em razão de um impedimento legal. Segundo a lei, o tempo limite para julgamento expirou em 2006.


Por outro lado, Chun-jae atualmente se encontra preso e aguarda julgamento por outro caso: o assassinato da sua cunhada, em 1994. Ao The Guardian, oficial da polícia de Gyeonggi Nambu afirma: “nós faremos o nosso melhor para descobrir a verdade guiados por um senso de responsabilidade histórica.”


Sobre Bong Joon-ho

Frame de "Parasita", vencedor da Palma de Ouro (2019) - Imagem: Festival de Cannes

O sul-coreano Bong Joon-ho vem trilhando um caminho de sucesso nos últimos anos. Okja (2017) teve ótima estreia no Festival de Cannes, agradando público e crítica com sua sensível história sobre a amizade entre a jovem Mija e um gigante animal ameaçado por uma multinacional.


Com “Parasita”, Joon-ho levou o prêmio principal em Cannes, além de alcançar números record em retorno financeiro na França. Entre o humor e a tensão constante que a trama apresenta, “Parasita” reflete sobre disparidades sociais de forma inusitada.


Frame de "Memórias de um Assassino" - Imagem: reprodução

Em "Memórias de um Assassino", Joon-ho foca na jornada de dois investigadores tentando decifrar os pontos por trás dos assassinatos de múltiplas mulheres. Esse foi o segundo longa-metragem do autor, que fez sua estreia com "Cão Que Ladra Não Morde" (2000).


Confira o trailer de "Memórias de um Assassino":


#cinemacoreano #casosreais #MemóriasdeumAssassino #Parasita #Okja #FestivaldeCannes


579 visualizações

Writer's Room 51 é uma vitrine online de projetos audiovisuais autorais.

Newsroom 51 é um portal afiliado de artigos sobre cinema, TV e streaming.

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn